Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Estudo avalia potencial uso de ferramenta digital para diminuir a taxa de infecção hospitalar
Início do conteúdo da página
live/divulgação

Estudo avalia potencial uso de ferramenta digital para diminuir a taxa de infecção hospitalar

Pesquisadores realizam live para ampla divulgação dos trabalhos

  • Criado: Segunda, 22 de Junho de 2020, 15h09
  • Última atualização em Quarta, 08 de Julho de 2020, 16h17
imagem sem descrição.

Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde- IRAS, estudo monitora a efetividade de ferramenta digital na diminuição das IRAS em 20 hospitais, dez em São Paulo e dez em Goiás. A pesquisa está sendo executada pelo Instituto Federal de Goiás (IFG) e é financiada pelo Ministério da Saúde, sendo gerida pelo Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência (DAHU). A Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape) realiza a gestão dos recursos. O projeto tem previsão de duração de 18 meses e irá avaliar quanto a eficiência no tratamento e no uso de recursos das unidades hospitalares. Os pesquisadores se reuniram na última sexta-feira, 19,por meio de live, para divulgar os trabalhos que estão sendo realizados.

Sobre o software a ser implantado junto as Comissões de Controle de Infecção em Ambiente Hospitalar, as chamadas CCIH (é nelas que se aprova e monitora o uso de antibióticos nos pacientes), o coordenador-geral da pesquisa, professor Geraldo Andrade, do IFG Câmpus Valparaíso, explica: "A ferramenta tecnológica traz velocidade e ganho no poder de decisões na área da saúde".

Cerca de 30 pesquisadores participam do projeto. A coordenadora de pesquisa da parte de Saúde Charlise Fortunato (Câmpus Goiânia Oeste) destaca sobre o objetivo dos estudos: "Avaliar a efetividade do monitoramento digital de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde, na taxa de incidência de resistência microbiana, tempo e permanência hospitalar, letalidade e custos econômicos".

Além de Charlise, a professora Patrícia Carvalho (Câmpus Águas Lindas) também coordena a pesquisa na área da Saúde. Outros coordenadores do projeto são: Fábio da Silva, na área de Matemática e Estatística (professor do Câmpus Valparaíso) e Graças Nery, área de Tecnologia da Informação (professora aposentada do Instituto Federal de Pernambuco- IFPE).


Juntam-se aos especialistas do IFG e do IFPE profissionais da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

 

Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Valparaíso

Fim do conteúdo da página