Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Aluno > IFG > Últimas notícias > IFG vai implantar novo Centro de Referência em Pesquisa e Inovação em Goiás
Início do conteúdo da página
CiteLab

IFG vai implantar novo Centro de Referência em Pesquisa e Inovação em Goiás

O projeto está em construção e vai receber contribuições da comunidade interna de 24 de agosto a 2 de setembro

CiteLab é o novo Centro de Pesquisa do IFG
CiteLab é o novo Centro de Pesquisa do IFG

Um espaço onde vários eixos e temas vão se encontrar, não só assuntos e pesquisas, mas pesquisadores, estudantes, professores, instituições, parceiros e a comunidade. Pessoas com interesse em aprender e voltar seus olhares para a ciência, mas também aqueles curiosos, que tentam entender de que forma são feitas as “coisas” do cotidiano. Nesse ambiente propício à integração, à democratização do conhecimento, à intensa inserção do Instituto Federal de Goiás (IFG) no cenário científico brasileiro, será constituído o Centro de Referência em Pesquisa e Inovação (CiteLab) do IFG. O lançamento oficial está previsto para outubro, mês nacional da ciência e tecnologia.

Para o reitor da Instituição, professor Jerônimo Rodrigues da Silva, “O Instituto Federal de Goiás, com a implantação do CiteLab, avança em ações previstas na Lei nº 11.892, de 2008. Dentre as ações previstas nas finalidades e características dos institutos federais, podemos destacar a realização e estímulo à pesquisa aplicada, a produção cultural, desenvolvimento científico e tecnológico, dentre outras”, afirma. Ainda segundo o reitor, o CiteLab também contribuirá com a transferência de tecnologias sociais voltadas à preservação do meio ambiente.

Serão 5 mil m² distribuídos em uma infraestrutura com salas, laboratórios com equipamentos de ponta, voltados, principalmente, para a pesquisa aplicada. O CiteLab está localizado próximo ao Ceasa de Goiânia, na rua Sanduca, Residencial Barravento, na mesma área onde já funcionava o setor de almoxarifado da Instituição. As atividades de implantação do Centro estão sendo realizadas desde setembro de 2019, com recursos do IFG e da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica - Setec/MEC -, da ordem de cerca R$ 1,5 milhão já investidos para compra de mobiliário e equipamentos, e outros R$ 9 milhões que estão em fase de licitação (veja mais informações ao final). A implantação total do Centro está prevista para se concretizar em um ano, até agosto de 2021.   

O projeto prevê inicialmente o desenvolvimento de pesquisas em seis eixos, sendo que em cada um deles será instalado ao menos um laboratório. São eles: eixo Cultura, Memória e Patrimônio – laboratórios de História Oral e Imagem e de Pesquisa em Arte, Cultura e Linguagens -, eixo Desenvolvimento Econômico e Social – laboratório de Políticas Públicas; eixo Design, Imagem e Recursos Educacionais – laboratórios de Design e Editoração e de Edição Audiovisual; eixo Estudos Ambientais – laboratório de Análises Ambientais – eixo Estudos em Materiais e Energia - laboratórios de Caracterização de Materiais, de Energias Renováveis e de Inteligência Computacional e eixo de Design Factory – laboratório de Prototipagem.

Cada eixo será coordenado por um pesquisador da Instituição, que já atua na área por meio de outros projetos científicos ou em um dos mais de 60 grupos de pesquisa existentes no IFG. Eles fazem parte da Comissão de implantação do CiteLab oficializada pela Portaria nº 592 – Reitoria/IFG, de 1º de abril deste ano (acesse). Ao todo, são 13 pessoas na equipe, nomeadas no documento, entre pesquisadores, membros da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Proppg), técnicos do Centro de Inovação Tecnológica (Cite), mais colaboradores de diferentes câmpus. O grupo realiza reuniões semanais e está em fase de elaboração da minuta de regulamento dos espaços, que será disponibilizada para consulta público no lançamento do CiteLab. A expectativa é de que até o lançamento 30 pessoas estejam envolvidas diretamente nas atividades do Centro de Pesquisa, entre servidores e bolsistas.

Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação do IFG, professor Paulo Francinete explica que o Centro tem o objetivo de ser um espaço “para a interação entre os pesquisadores e sociedade, empresas, indústrias, organizações sociais, setor público, fortalecendo o ecossistema da inovação tecnológica e da transferência de tecnologia por meio da extensão tecnológica”. A importância do CiteLab, ainda segundo o pró-reitor, se dá também por ser um ambiente fundamental para formação e capacitação dos estudantes, por proporcionar a eles a vivência de desafios, situações reais de pesquisa e inovação, “coisas que muitas vezes eles não aprendem no próprio curso. Algumas habilidades e competências, como a capacidade de liderança, trabalho em equipe e negociação serão desenvolvidas, por meio de vivência em situações reais. Precisamos envolver os estudantes nesses projetos, para que depois eles tenham melhor desempenho profissional e na vida”, finaliza.

 Vista dos prédios

Surgimento

A criação do CiteLab surge como uma das ações da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação – CT&I (Encti) 2016-2022, documento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTIC). Este orienta as estratégias de médio prazo, estabelecendo os principais eixos de atuação para a política de CT&I brasileira. Insere ainda o país junto ao diálogo com a pesquisa internacional. Entre os objetivos estão a ampliação da pesquisa e do estímulo à inovação brasileira, por meio de investimentos nas instituições de CT&I, como é o caso do IFG, bem como pela elaboração de políticas para auxiliar na difusão e interação das pesquisas e soluções tecnológicas realizadas nesses locais. A ideia é que o diálogo entre pesquisa, inovação e instituição ocorra com os arranjos produtivos diversos, por meio do empreendedorismo, associativismo e cooperativismo.

Considerando o estímulo ao desenvolvimento da pesquisa em âmbito nacional, o diretor de Pesquisa da Proppg, Thiago Eduardo Pereira Alves, ressalta que “A ideia de criação do Centro de Pesquisa foi concebida em diálogos da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação com o Reitor, no sentido do melhor aproveitamento da estrutura já existente no antigo almoxarifado, arquivo e centro de distribuição, com a demanda crescente dos pesquisadores nas áreas da pesquisa, inovação e extensão tecnológica do IFG”, afirma.

Por ser um espaço multicâmpus e multiusuário, que envolve parcerias com outras instituições, agências de fomento, editais externos, as ações de prospecção para novas pesquisas poderão ser mais articuladas às necessidades de cada local onde o IFG está inserido (13 cidades do Estado), afirma o diretor de Pesquisa, que está à frente da equipe do projeto. A integração de diversas áreas do conhecimento em um espaço é importante, pois “fica mais fácil o atendimento da pesquisa de ponta em um espaço de atendimento multicâmpus ao invés da implantação de centros avançados separados por unidade, principalmente nas áreas que aglutinam pesquisas multidisciplinares”, explica o diretor.

A previsão da Proppg é de que servidores e pesquisadores possam desenvolver seus trabalhos no prédio do CiteLab a partir do retorno às atividades presenciais, ainda sem data definida. Até o momento, o trabalho administrativo – elaboração de regulamento interno, definição de competências etc. - e institucionais – busca por parcerias com fundações de amparo à pesquisa, editais de fomentos e outros - estão sendo realizadas remotamente. Os próximos passos, segundo o diretor Thiago, é finalizar a primeira etapa da implantação, com o lançamento oficial em outubro, e, em setembro do próximo ano, entregar toda a estrutura dos eixos de pesquisa já em funcionamento.

Parceiras

O CiteLab também está desenvolvendo outras ações, como a captação de recursos junto às agências de fomento e inserção em editais de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Uma delas foi o credenciamento junto ao Polo Embrapii, cujo resultado final deve sair nos próximos dias. Por meio do credenciamento, serão mais R$ 3,3 milhões para investimentos na área de Tecnologias Energéticas. Além disso, há ainda a expectativa de receber apoio dentro de outros editais da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg), Finep e Furnas, “que podem trazer mais 1 milhão de reais de investimentos”, afirma Thiago. Outros parceiros institucionais que também estão inseridos no projeto são a Fundação de Amparo à Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (Funape/UFG), a Fundação de Desenvolvimento de Tecnópolis (Funtec) e o Sebrae.

Outro projeto relacionado ao CiteLab é a implantação da ferramenta IFG Produz, uma plataforma que vai disponibilizar informações e mapear as pesquisas institucionais por área, por pesquisador e grupos de pesquisa. O objetivo será a aproximação e formação de grupos de pesquisadores dentro de uma mesma área de conhecimento, bem como servir como banco de fontes de pesquisa, mapeamento institucional da produção científica (leia mais informações).

 

Construção coletiva – Rodas de Conversa

Por estar em fase de estruturação e regulamentação do CiteLab, a Proppg e a Comissão do CiteLab vão realizar de 24 de agosto a 3 de setembro uma primeira rodada de rodas de conversa internas para discussão do funcionamento dos eixos de pesquisa. A ideia é que neste primeiro momento os pesquisadores de cada área, estudantes e servidores contribuam com sugestões e debates para elaboração de uma minuta de regulamento. As rodas vão ser realizadas online, com uma agenda quase que diária para contemplar os seis eixos de pesquisa (abaixo). Cada debate vai abordar temas relacionados aos eixos, totalizando oito rodas para discussões (veja a agenda abaixo). 

Uma primeira reunião, que antecede as rodas de conversa, será realizada amanhã, 19, especificamente com os líderes dos grupos de pesquisa. Na ocasião, será apresentado o projeto do CiteLab e os editais de fomento que estão disponíveis para inserção de iniciativas do Centro. A reunião será às 16 horas.

 

Confira a agenda das rodas de conversa abertas à comunidade interna do IFG

Acesso às rodas de pesquisa: meet.google.com/nfn-psgh-utp .

As reuniões estarão acessíveis para os e-mails com domínio do IFG. Membros da comunidade que queiram participar com outro e-mail precisam solicitar acesso para: pesquisa@ifg.edu.br.   

Eixos de Pesquisa e Inovação

Data da 1º reunião

Pesquisador Responsável

Caracterização de Materiais

24/08/2020 – 14h30

Fernando Pereira de Sa

Energias Renováveis

25/08/2020 – 14h30

Daywes Pinheiro Neto

Inteligência Computacional

26/08/2020 – 14h30

Sérgio Daniel Carvalho Canuto

Análises Ambientais

28/08/2020 – 14h30

Carlos de Melo e Silva Neto

Design, imagem e Recursos Educacionais

31/08/2020 – 14h30

Alexandre José Guimarães

Design Factory

1º/09/2020 – 14h30

Ricardo Fouad Rabahi

Cultura, Memória e Patrimônio

02/09/2020 – 14h30

Maria Abadia Cardoso

Desenvolvimento Social e Econômico

03/09/2020 – 14h30

Neville Júlio de Vilasboas e Santos

 

 

Entenda

 

Área total do CiteLab (área física): 5 mil m², sendo 1600 m² de área construída.

Ações já realizadas:

  • Estudo e prospecção para a elaboração do projeto de implantação do CiteLab.
  • Aquisição e instalação de R$ 400 mil em mobiliário (móveis, computadores, climatização) para implantação da parte administrativa e escritórios, que fazem parte do organograma do Centro: Propriedade Intelectual, Prospecção e Divulgação científica, Estímulo à Incubação e Apoio à Empresas Juniores.
  • Aquisição e instalação de R$ 900 mil em equipamentos para laboratórios.
  • Instalação de internet banda larga.
  • Adaptações prediais e elétricas para instalação das primeiras atividades de pesquisa.
  • Transferência da Diretoria de Pesquisa (DPI) e do Centro de Inovação Tecnológica (Cite) para o prédio.
  • Contratação de dois bolsistas para o auxílio técnico ao laboratório de Prototipagem, que tem atuado em ações de combate à pandemia.

Ações em andamento:

  • Licitação no valor aproximado de R$ 1 milhão para adaptação predial (construção de 2º piso) e adaptações elétricas e hidráulicas para recepção de equipamentos de laboratório.
  • Licitação no valor aproximado de R$ 8 milhões para aquisição de equipamentos/instrumentação para a pesquisa nos laboratórios.
  • Lançamento de chamada pública para oito bolsistas para apoio técnico nos demais laboratórios.

Ações e eventos a serem realizados com a comunidade:

  • Rodas de Conversas com pesquisadores de todos os eixos de pesquisa e inovação do projeto (conduzidas pelos pesquisadores supervisores), para elaboração do regulamento dos espaços.
  • Lançamento do Projeto de Implantação do CiteLab (outubro de 2020).
  • Lançamento de Portaria normativa de funcionamento (outubro de 2020), que será discutida em consulta pública e aprovada em forma de resolução até agosto de 2021.

Equipe do projeto:

  • Estão trabalhando na implantação toda a equipe da DPI e do Cite: oito servidores, oito pesquisadores para a supervisão da implantação dos laboratórios, além do apoio da Diretoria de Pós-Graduação e da Diretoria de Ações Profissionais e Tecnológicas. Mais oito bolsistas já contratados e outros oito em fase de contratação. A expectativa é de que a equipe seja 30 pessoas (servidores e bolsistas) já em outubro de 2020.

  

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

 

Notícias (Aluno)

Comunicados (Aluno)

Fim do conteúdo da página